Guia da rotulagem dos pneus - Apenas 8% dos automobilistas conhecem os três critérios da rotulagem

Apenas 8% dos automobilistas conhecem os três critérios da rotulagem

Rotulagem dos pneus Publicado no 19/11/13 por João

A rotulagem dos pneus passou a ser obrigatória na Europa. No entanto, será que os consumidores europeus têm em consideração esta novidade no momento da compra ? Num novo estudo Rezulteo realizado em colaboração com a Ipsos, observámos que esta rotulagem é mais conhecida do que antes, mas ainda não representa um critério de compra decisivo para o consumidor que prefere ter em consideração o preço do produto e os conselhos dos vendedores.

Inquérito labelling 2013 O rótulo das performances de um pneu : ainda não é um critério de compra decisivo! - Copyright © : rezulteo

Faz agora um ano que a rotulagem passou a ser obrigatória para os pneus à venda nos países da União Europeia. Um mês antes da entrada em vigor da rotulagem obrigatória, Rezulteo já tinha realizado um estudo para analisar o nível de conhecimento dos consumidores europeus em relação a esta medida. Na época,  80% dos inquiridos não tinham conhecimento desta medida, mas entre eles 80% pensavam que era uma boa ideia.

O que mudou um ano depois da rotulagem ser obrigatória? Para responder, Rezulteo realizou um novo estudo para analisar os conhecimentos e o comportamento de compra dos consumidores europeus em matéria de pneus. Realizado há algumas semanas, o estudo foi efectuado junto de condutores de nacionalidade italiana, francesa, alemã, espanhola e inglesa, responsáveis pela manutenção do seu veículo.

Este estudo tem resultados contraditórios : certo, há mais consumidores que conhecem a rotulagem dos pneus, mas são raros aqueles que utilizam esta rotulagem no momento da compra dos pneus. Isto é particularmente notório nos consumidores alemães e britânicos. Na maioria dos casos, o consumidor baseia-se principalmente no preço do pneu e nos conselhos do vendedor. A análise do rótulo do pneu é um critério claramente muito menos importante para o consumidor.

Doze meses após a generalização da rotulagem dos pneus na Europa, o consumidor parece ainda muito pouco informado. Deve ser realizado um trabalho de sensibilização para parâmetros de grande importância, que seja em matéria de protecção do ambiente (consumo) ou de segurança. Sobretudo numa época em que a oferta proposta pelos fabricantes é maior do que nunca.

 

Os 8 números chave do estudo 


> Conhecimento e assimilação da rotulagem
 

1. Há mais consumidores europeus que a conhecem …

36% dos inquiridos já ouviram falar desta norma obrigatória, quando eram apenas 22% há um ano. De referir que os britânicos são os menos informados de todos, provavelmente devido a um comportamento particularmente passivo em matéria de manutenção do seu veículo. De forma lógica, as pessoas que compraram pneus recentemente estão mais informadas (46%) e entre eles 52% descobriram esta norma apenas no momento da compra.

2. … e compreendem o seu interesse…

72% dos inquiridos são a favor da rotulagem dos pneus. De referir que consoante o país, os inquiridos são mais ou menos convictos : esta percentagem sobe para 87% na Itália, e 83% em Espanha. Os alemães e os britânicos são um pouco menos receptivos (56%), os franceses menos ainda.

3. … mas não a conhecem ao pormenor

8% dos inquiridos sabem quais são os três critérios abrangidos pela rotulagem dos pneus. Para dois desses critérios (a travagem em piso molhado e a resistência ao rolamento), os inquiridos conseguem citá-los facilmente. Mas é muito mais complicado para o terceiro critério da rotulagem, o ruído de rolamento. No seu lugar, imaginam a travagem em piso seco, o nível de aderência em piso molhado ou a longevidade do pneu. No geral, há uma melhoria com 21% de respostas certas neste terceiro critério, contra 13% em 2012. De referir que os alemães são os mais informados.

4. A travagem em piso molhado, o ponto mais importante

85% das pessoas consideram que a travagem em piso molhado é o parâmetro mais importante  da rotulagem. Em seguida vem a resistência ao rolamento (13%) e finalmente o ruído de rolamento (3%). E se houvesse um quarto critério obrigatório no rótulo, seria a longevidade do pneu para 67% dos inquiridos. 

 

> Efeitos da rotulagem no comportamento de compra 

5. Os novos compradores demonstram um grande interesse…

38% dos consumidores que compraram recentemente pneus tiveram a rotulagem em consideração. Para 11%, foi mesmo um parâmetro importante (para os 27% restantes, menos). Mas entre essas pessoas, os resultados são bastante heterogéneos consoante a nacionalidade. Os espanhóis são os mais atentos (50%), à frente dos italianos (48%), seguidos pelos franceses (33%), os alemães (32%) e os britânicos (26%).  

6. … e acham a rotulagem clara e compreensível

73% desses compradores (87% em França) não precisam perguntar aos especialistas como interpretar esses critérios. Acham a rotulagem suficientemente clara para interpretá-la de forma autónoma.

7. … mas o preço continua a ser o elemento mais importante

56% dos consumidores recentes que analisaram esta rotulagem preferem primeiro fixar um valor aproximativo para o preço de compra. Só tinham  em consideração os dados do rótulo depois de determinar o preço que queriam colocar no produto. O comportamento desses consumidores é contraditório porque, mesmo colocando a segurança como primeiro critério de compra (51%) à frente do preço (23%), esses consumidores têm tendência em analisar a relação qualidade/preço no momento da compra. A maioria, não está disposta a pagar o preço mais elevado para obter o melhor nível de segurança possível.

8. … e preferem ouvir o vendedor

80% dos compradores recentes cuja escolha não estava definida antes de chegar à loja solicitaram a ajuda do vendedor. Entre eles, 97% seguiram os conselhos do vendedor. O vendedor continua a ser o mais influente para os consumidores europeus em matéria de compra de pneus. Isto verifica-se especialmente em Espanha onde 87% dos compradores pedem ajuda ao vendedor.

 

 

O estudo foi realizado pelo instituto Ipsos entre 23 de Setembro e 08 de Outubro de 2013 junto de uma amostra representativa de 3 402 inquiridos em França, Alemanha, Itália, Espanha e Reino Unido, com pessoas de 18 anos de idade e mais responsáveis pela manutenção de pelo menos um veículo do agregado familiar.