Novos pneus: actualidade pneu dos fabricantes - Michelin CrossClimate, um pneu de verão e de inverno ao mesmo tempo

Michelin CrossClimate, um pneu de verão e de inverno ao mesmo tempo

Novos pneus Publicado no 10/03/15 por Julien

Com o seu CrossClimate, a Michelin deseja ficar próximo da realidade dos automobilistas ao propor um pneu eficaz no verão e no inverno. Um caderno de especificações muito parecido com o de um pneu todas as estações. A realidade é diferente.

Michelin CrossClimate paisagem lunar Michelin CrossClimate, o compromisso perfeito entre pneu de inverno e pneu de verão ? - Copyright © : Michelin

Pneu todas as estações ? 

O universo do pneu tem sido sempre confrontado com as limitações técnicas atuais : ou seja que um pneu de verão não pode ser eficaz no inverno e vice-versa.

Nas gamas dos fabricantes onde a  sazonalidade é o critério de clivagem, o pneu todas as estações impõe-se como um elo em falta. Na teoria, representa o produto perfeito, suscetível de responder às necessidades de muitos automobilistas. Na prática, tem dificuldades em encontrar o seu público porque tem a reputação de ser médio em tudo. O CrossClimate tem a ambição de sem bom em tudo.

É ao estudar o comportamento dos automobilistas e ao questioná-los sobre as suas verdadeiras necessidades que a  Michelin decidiu criar o CrossClimate
Ideologicamente, a Michelin rejeita um parentesco direto com os pneus todas as estações clássicos, pela simples razão de que estes últimos são geralmente pneus com um tendência de inverno adaptados para um uso de verão. A Michelin fez o caminho inverso : partir de um pneu de verão para torná-lo um produto também adaptado para um uso de inverno. Uma nuance que tem toda a sua importância.

A primeira coisa surpreendente neste pneu é a marcação "3PMSF" nas suas paredes. Esta menção atesta as suas verdadeira qualidades de inverno. No entanto, a Michelin garante, o CrossClimate não pretende competir com um verdadeiro pneu de inverno, e por consequência, não se destina aos utilizadores deste tipo de produtos.

Pretende portanto responder a uma necessidade real : àquela do automobilista que evolui todo o ano principalmente sobre revestimento "preto", que pode ficar confrontado com condições climáticas instáveis e ocasionalmente com neve.

 

Rumo a um compromisso técnico perfeito ?

Tecnicamente, as necessidades previstas para um pneu de verão e um pneu de inverno são antagónicas. A Michelin declara ter alcançado um limite histórico no equilíbrio das performances oferecido por um único pneu com um compromisso técnico reduzido ao máximo. Os critérios de performances esperados visam uma segurança adaptada a cada uma das condições que um automobilista é suscetível de encontrar. Em resumo, um pneu eficaz no verão como no inverno.

A Michelin diz também contornar todos os defeitos caraterísticos encontrados geralmente nos pneus de inverno e todas as estações : baixa eficiência energética, distância de travagem em piso seco superior a de um pneu de verão etc.

Do lado do aspeto, a banda de rodagem é direcional. Uma solução encontrada geralmente nos pneus de inverno e que se tornou rara nos pneus de verão com perfil assimétrico.

Michelin CrossClimate banda de rodagemCopyright © : rezulteo

A borracha utiliza materiais que lhe permitem não endurecer quando as temperaturas caem abaixo dos 7°C, resistindo ao mesmo tempo às condições de verão. Uma proeza sempre considerada até agora impossível.

banda de rodagem é provavelmente o elemento chave do CrossClimate. Utiliza um novo material colocado por baixo que melhora a eficiência energética, enquanto as lamelas 3D auto bloqueadoras encarregam-se de garantir uma rigidez sem falha em piso seco (ou seja precisão) e um efeito aderente na neve (ou seja motricidade).

 

O teste

Após esta introdução teórica, estávamos verdadeiramente impacientes de poder testar o CrossClimate a fim de o opor às caraterísticas de um pneu de verão, mas também de poder testá-lo numa estrada com neve.

Os primeiros quilómetros efetuados ao volante do nosso Peugeot 308 de teste em asfalto seco permitem verificar as declarações do fabricante francês : as caraterísticas oferecidas estão muito próximas de um pneu de verão. O CrossClimate não tem o lado ligeiramente esponjoso de um pneu de inverno ou mesmo o seu nível sonoro. Revela-se muito preciso, e perfeitamente silencioso, mesmo durante a subida do monte Faucille que alterna curvas e aderência, assim como uma temperatura que cai à medida que a altitude aumenta.

Após estas condições de condução clássicas, estamos confrontados com troços de neve em pó (10 a 15 cm de espessura) e neve calcada e gelada. Nestas condições, o CrossClimate impressiona em termos de motricidade e travagem. Oferece uma excelente segurança e permite evoluir serenamente neste tipo de revestimento. No entanto é necessário permanecer objetivo sobre o fato de que ele não pode competir com um pneu de inverno clássico nestas condições e revela-se menos bom do que um pneu de inverno clássico em termos de aderência lateral. O que é perfeitamente lógico. 

Michelin CrossClimate na neveCopyright © : rezulteo

À margem deste test drive, a Michelin permitiu a realização de testes comparativos. Num exercício de comparação de travagem em piso seco e de aderência em piso molhado, tivemos uma sensação equivalente ao Energy Saver +, que relembramos é um pneu de verão chave para os citadinos e ligeiros.

 

Em conclusão

A abordagem da Michelin é inegavelmente insolente. Os quilómetros que efetuamos com o CrossClimate deixaram uma impressão muito positiva. As performances deste pneu foram validadas graças aos testes realizados por organismos alemãs (Tüv Süd, Dekra, Utac) para a Michelin, e os resultados são consistentes com o que observamos.

 

O CrossClimate estará disponível no mercado a partir da primavera de 2015 em 23 dimensões diferentes entre 15 e 17 polegadas, abrangendo assim a maioria dos pneus que equipam veículos de tipo ligeiro e sedã. Uma oferta que será alargada nos próximos meses.