Concepção e fabricação do pneu - A fabricação do pneu

A fabricação do pneu

Pneu e tecnologia João

Não parece, mas o pneu é um produto de alta tecnologia, e não apenas um objecto moldado.

Pneus em cadeia O pneu, um produto fabricado de forma muito técnica ! - Copyright © : iStockphoto.com/rezulteo.com

O pneu é uma junção complexa de vários componentes : até 200 ! A sua fabricação implica uma grande variedade de matérias primas : borrachas naturais e sintéticas, cabos metálicos, fibras têxteis e adjuvantes diversos.

 

A mistura das borrachas

A fabricação de um pneu implica mais de 30 tipos de borrachas naturais e sintéticas, cada uma com as suas especificidades. São misturadas em grandes misturadoras até obter uma massa lisa e homogénea. A junção das várias misturas de borrachas determinará as qualidades do pneu em termos de flexibilidade, aderência ou resistência.

 

A junção dos elementos

A fase de junção é efectuada num tambor rotativo que vai receber as várias camadas de materiais. Seguem algumas etapas.

Instalação da folha estanque

O primeiro elemento aplicado no tambor é uma folha de borracha sintética estanque ao ar. Substitui a câmara de ar nos pneus modernos.

Colocação da tela carcaça

Adiciona-se uma estrutura de cabos têxteis ou metálicos revestidos de borracha. Esta estrutura formará uma armação de raios em torno do pneu. É a carcaça radial.

Instalação das cintas

São instalados dois aros de cabos metálicos de ambos os lados do pneu. São as cintas. Estas mantêm o pneu na jante assegurando ao mesmo tempo a estanqueidade. A tela carcaça é em seguida dobrada sobre as cintas para assegurar a sua fixação..

Instalação das paredes

Outras bandas são adicionadas. Nomeadamente as paredes, de borracha flexível e resistente, que absorvem as deformações do pneu e protegem-no dos choques laterais. Recebem também as marcações.

Moldagem do pneu

Molda-se em seguida o pneu enchendo a parte central do tambor.

Reforço do topo

Aplica-se em seguida duas telas no topo do pneu. Com a integração de fios metálicos dispostos obliquamente, as telas formam juntamente com a tela carcaça uma rede de triângulos que não se deformam.

Instalação da banda de rolamento

Instala-se finalmente a banda de rolamento, a parte do pneu em contacto com o solo.

 

A vulcanização

O pneu cru é então colocado num molde de cozedura, cujas paredes foram gravadas para reproduzir no pneu a escultura e as marcações. No centro do molde, uma membrana cheia de água quente sob pressão empurra a matéria, ainda maleável, contra as paredes. Sob o efeito do calor, a cozedura começa. A subida da temperatura de 150° resulta no fenómeno de vulcanização da borracha : o enxofre, incorporado à mistura de borracha, forma ligações entre as cadeias de polímeros. Passa assim do estado plástico para o estado elástico.

 

O controlo

À saída do molde de cozedura, o pneu é controlado. A detecção dos defeitos é efectuada ou por peritos, ou por uma máquina especializada. Os pneus são também controlados de forma aleatória na linha de produção e passados ao raio X. Se um pneu apresentar qualquer defeito, mesmo uma ligeira imperfeição, este será rejeitado.

Fonte : Filme Michelin "A fabricação do pneu"

 

 

O pneu em números

1,1 milhar : produção mundial de pneus « turismo » (2008).

127 milhares : valor em dólares do mercado mundial do pneu (2007).

72% : quota do mercado de substituição.

49% : quota do mercado consolidada dos 3 líderes – Michelin, Bridgestone e Goodyear.

(Fontes : Tire Business, Michelin Factbook)