Pneus desportivos e ultra altas performances, pneus e competição - Teste Mercedes SLS AMG GT3, vencedora das 24 Horas de Nürburgring 2013

Teste Mercedes SLS AMG GT3, vencedora das 24 Horas de Nürburgring 2013

Desportos Publicado no 15/10/13 por João

Tivemos o privilégio de testar o Mercedes SLS AMG GT3, vencedor da corrida automóvel mais difícil do mundo. Um sucesso onde a eficácia dos pneus Dunlop foi fundamental.

Mercedes SLS AMG GT3 no circuito A Dunlop equipou o Mercedes SLS AMG GT3 para a vitória das 24 Horas de Nürburgring - Copyright © : rezulteo

600 cavalos e asas de gaivota

O SLS AMG GT3 foi concebido pela Mercedes para responder à regulamentação GT3, para as corridas onde quase todos os construtores de automóveis desportivos realizam batalhas de antologia em todos os circuitos do mundo. O objectivo é bastante simples : a base é um carro desportivo do catálogo da marca que, em seguida é transformado num verdadeiro carro de corrida, de acordo com um regulamento que autoriza uma série de modificações.

Na Mercedes, foi escolhido o SLS AMG como base. Um desportivo com um capot longo e asas de gaivota, equipado com um V8 de 571 cavalos. Uma vez transformado para a corrida GT3, o carro torna-se muito mais leve (pouco menos de 1350 quilos em vez de mais de 1600 quilos) e mais potente : a Mercedes anuncia entre 550 e 600 cavalos mas sem os flanges regulamentares do campeonato GT3, o carro teria muito mais. Uma coisa é certa : com um estilo único no mundo e as portas que abrem para o céu, este carro é um grande sucesso junto do público nos circuitos.

Mercedes SLS AMG GT3 vermelhoCopyright © : rezulteo

O novo carro a vencer ?

Actualmente, as coisas vão bem. O SLS AMG GT3 foi apresentado em 2011 e desde então, as suas performances de corrida têm vindo a melhorar. Em 2013, o carro parece pronto para dominar todas as grandes corridas GT3 do mundo. Venceu primeiro as 24 Horas do Dubaï no início do ano. Prosseguiu com as 24 Horas de Barcelona e as míticas 24 Horas de Spa Francorchamps, que caíram também nas mãos da Mercedes. Mas o maior orgulho da marca estrela e do seu parceiro Dunlop para a ocasião, é a vitória nas 24 Horas de Nürburgring em 2013. Esta é uma grande estreia para a Mercedes que conseguiu ultrapassar a AudiPorsche e os outros especialistas da prova durante uma edição absolutamente dantesca onde as condições climáticas foram horríveis.

 

O inferno verde

Pergunte a um piloto qual é a sua corrida preferida, existe uma grande possibilidade de ele responder as 24 Horas de Nürburgring. É sem dúvida o maior desafio do mundo em matéria de corrida automóvel actualmente. 24 Horas de corrida num circuito extremamente difícil, onde as curvas (muitas delas cegas) são quase uma centena e onde o raio está muito perto do asfalto. 24 Horas muitas vezes disputadas sob a chuva, com centenas de veículos participantes desde o GT3 de alto desempenho até o pequeno citadino de amadores. Todo este pequeno mundo partilha a pista e tenta evitar o mais possível os acidentes e as saídas de pista, que acontecem muitas vezes ao longo da corrida. E que seja a AudiBMW, Porsche, Aston Martin ou McLaren, todos os anos, todos utilizam recursos substanciais para vencer esta prova diferente das outras.

Em 2013, a corrida foi ainda mais difícil : a chuva caiu em quantidades apocalípticas, a ponto da corrida ficar suspensa durante várias horas por causa das condições extremamente perigosas. Mas após uma dupla volta do relógio, foi um SLS AMG GT3 que saiu na frente. Graças a uma equipa especializada, uma gestão apurada da corrida e borrachas à altura, o SLS AMG GT3 ultrapassou a Porsche e a BMW.

Mercedes SLS AMG GT3 no circuito 2Copyright © : rezulteo

 

Ao volante da besta

Mercedes SLS AMG GT3 garagemCopyright © : rezulteo

Bastaram oito voltas no circuito de Lausitzring na Alemanha, para avaliar as capacidades fora do comum deste tipo de carro de corrida. Novidade, estes carros são agora concebidos para serem conduzidos por pilotos menos talentosos : não é raro ver grandes pilotos amadores (contudo esclarecidos) participar em corridas com estas máquinas, o campeonato GT3 alterna, além disso, pilotos profissionais e pilotos amadores.

A instalação a bordo do SLS GT3 é sem dúvida muito impressionante quando não se está habituado a pilotar um carro de corrida. Deve vestir um fato à prova de fogo (da roupa interior até às meias), em seguida fixar o sistema Hans no capacete e o cinto no assento. Aí, os seus olhos não vão muito além do tablier e para ligar a ignição deve carregar num botão.

Carregue na embraiagem para engatar a primeira velocidade, em seguida a segunda após grandes solavancos onde se esforça para não deixar ir o carro abaixo. Em seguida, mude para a caixa de velocidades sequencial com os comandos no volante quando deixa a via dos stands.

 

O mundo paralelo dos carros de corrida

Mercedes SLS AMG GT3 no circuitoCopyright © : rezulteo

Escusado será dizer que, para um amador sem experiência com este tipo de máquina de corrida, as sensações vividas são extraordinariamente marcantes. O nível de aceleração é ainda mais importante que num veículo desportivo mesmo potente. A caixa de velocidades é de uma rapidez notória e bastante dócil no seu funcionamento. Mas os dois parâmetros mais impressionantes são a travagem e a aderência em curva : é aí que se evolui para um mundo diferente em relação aos veículos desportivos homologados para a estrada. E a este nível, os pneus de corrida têm um papel muito importante : as misturas especiais dos pneus slicks alcançam performances impossíveis de imaginar num produto homologado para a estrada. A eficiência na travagem é impressionante, o controlo em curva é ainda mais. Porém, só tínhamos pneus intermediários previstos para a chuva (que não apareceu quando efectuamos o teste debaixo de grandes nuvens). Com slicks para piso seco, a diferença com o mundo do pneu de estrada (mesmo ultra desportivo) é ainda mais pronunciada.

 

Ligações entre os dois mundos

Pneu Dunlop num circuitoCopyright © : rezulteo
Entre o mundo dos carros de corrida e o mundo dos carros de estrada, existe uma galáxia inteira. Mas os fabricantes, esforçam-se em recuperar o mais possível os trabalhos em competição automóvel para desenvolver novas tecnologias para os pneus de estrada. A Dunlop, não hesita em evocar os muitos componentes extrapolados das borrachas de competição para os produtos de estrada com altas performances como é o caso do SP Sport Maxx GT e do Sport Maxx Race com vocação extrema. Nunca será possível alcançar um nível de eficiência puro tão elevado como num slick de corrida, mas o trabalho contínuo dos especialistas como aqueles da Dunlop faz com que os pneus altas performances serão sempre melhorados. A competição tem outra finalidade : as corridas do calibre das 24 Horas de Nürburgring ou Le Mans permitem levar os pneus até ao limite que seja em termos de resistência ou de eficiência pura. Agora, não é raro ver carros aguentarem quatro horas ou mais numa corrida com as mesmas borrachas. Sob a chuva, o ritmo é cada vez mais elevado mesmo quando as condições na pista são muito ruins. Graças a este laboratório gigante que é a competição automóvel onde os limites físicos do pneu são constantemente testados, os pneus de estrada acabam sempre por beneficiar das soluções encontradas para a corrida. Mesmo em produtos menos radicais para os quais algumas misturas podem ser adequadas.

 

Para mais informações 

>> O sítio de Nürburgring